Com Moro e Flávio Bolsonaro, Witzel vai a evento da PM e reafirma importância de investigar crime organizado na raiz

2019-07-15T17:59:11-03:00julho 15th, 2019|

Evento em comemoração aos 210 anos da PM teve como foco um documentário que expõe a rotina de risco dos militares. Governador sinalizou ao Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, por várias vezes em seu discurso

RIO — O governador Wilson Witzel esteve ao lado do Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, e do senador Flávio Bolsonaro (PSL) na noite desta segunda-feira, em mais um evento em comemoração ao aniversário de 210 anos da Polícia Militar do Rio. A festa, o I Simpósio Nacional sobre Vitimização Policial, no Centro de Convenções Sulamérica, na Cidade Nova, teve como tema o risco que PMs correm quando estão em ação. Após a a encenação de uma esquete teatral e de um documentário, “Heróis do Rio de Janeiro”, Moro enfim subiu ao palco, agradeceu a Witzel e Flávio pelo convite, e disse se solidarizar com os militares feridos ou mortos em combate.

— Vim aqui representar o ministério. Minha percepção é de que qualquer palavra, gesto, nada pode aumentar mais a honra que os próprios gestos de sacrifício individual, dos atos heroicos praticados por estes policiais. Que passemos agora a nos preocupar, não em agregar palavras a uma honra que é imutável, mas sim com o que podemos fazer a este respeito, para mudar esta situação — disse o ministro.

Ele afirmou que seu Ministério fará o que for preciso para tentar auxiliar a PM na segurança pública do Rio.

— Saibam que o Ministério da Justiça e Segurança Pública e o Governo Federal, do presidente Jair Bolsonaro, estão do lado da Polícia Militar do Rio. Seja para evitar que atos desta espécie (baixas e mutilações de policiais) se repitam, e que estes sacrifícios heroicos tornem-se cada vez mais desnecessários. Que o policial não precise se expôr tão amplamente frente esta criminalidade violenta e organizada — concluiu.

WITZEL QUER ATENÇÃO AOS PRESOS: Witzel afirma que pessoas entram como ‘animais’ nos presídios

Em seguida, Witzel subiu ao palco. Mais uma vez, ele voltou a falar sobre a metralhadora de guerra que empunhou no Palácio Guanabara e, por diversas vezes, se referiu a Moro em sua fala. O governador reafirmou mais de uma vez, também, a vontade de que a Polícia Federal atue em parceria com o setor de Polícia Judiciária, reformulado por ele para investigação de lavagem de dinheiro e crimes ligados ao tráfico.

— Quando assumimos o Estado do Rio, nós percebemos que algo precisava ser mudado. Tomamos uma decisão de dar autonomia à Polícia Militar. Porque como hoje formamos policiais, ao longo de anos de carreira, são estes policiais que têm a compreensão exata daquilo que deve ser feito. São eles que devem ter autonomia, sem interferência política para fazer o devido planejamento nas áreas que têm maior concentração de criminalidade — disse, e sinalizou novamente para Moro.

— Há um mito de que é preciso integrar as duas policias (Civil e Militar), como um terceiro elemento…. e eu ouso discordar, excelentíssimo senhor Sérgio Moro. Haja visto que uma das instituições, assim como acontece com o Corpo de Bombeiros, tem sua expertise diferenciada — afirmou, e dirigiu-se novamente ao ministro, falando mais uma vez sobre a importância de investigar as organizações criminosas em sua origem, dando a mesma independência que possuem o Judiciário e o Ministério Público.

— Criamos algo que tenho certeza que o ministro Sérgio Moro há de olhar com cuidado, que foi o departamento de combate à lavagem de dinheiro e crime organizado, com a Polícia Judiciária Estadual. Hoje, há um aumento de mais de 700% nos indiciamentos e tenho certeza que o ministro em breve verá o resultado do trabalho desta investigação. E como há muito já tenho dito: não basta prender, não basta o enfrentamento, é preciso haver uma investigação daqueles que financiam o tráfico de armas e de drogas, daqueles que colocam nos morros cariocas o fuzil, a ponto 30, que eu fiz questão de expor no Palácio Guanabara… Um ponto 30 cujo a cinta de munição ainda estava quente dos disparos feitos contra um major do Bope (Batalhão de Operações Especiais).

 

Fonte e imagem: Jornal O Globo Rio

13/05/2019 – 23:48 / Atualizado em 14/05/2019 – 07:56

https://oglobo.globo.com/rio/com-moro-flavio-bolsonaro-witzel-vai-evento-da-pm-reafirma-importancia-de-investigar-crime-organizado-na-raiz-23663319