OPERAÇÃO DA POLÍCIA MILITAR NA ILHA RESULTA NA MORTE DE LÍDERES DO TRÁFICO E APREENSÃO DE SEIS ARMAS

2019-07-15T17:27:08-03:00junho 27th, 2019|

Uma operação planejada e coordenada pelo Comando de Operações Especiais (COE) da Secretaria de Estado de Polícia Militar do Rio de Janeiro, iniciada no final da madrugada desta quinta-feira (27/6), resultou num grande revés na estrutura do crime organizado instalado nas comunidades do Complexo do Morro do Dendê, na Ilha do Governador. Até o início da tarde, o saldo operacional computava seis criminosos mortos, entre os quais o chefe do tráfico na região, e apreensão de seis armas – um fuzil e cinco pistolas -, carregadores, granadas e drogas. 

Planejada com base em informações da área de inteligência da Polícia Militar, a operação do COE prosseguirá por tempo indeterminado, com ações de abordagens e vasculhamento nas comunidades Praia do Rosa, Dendê e Guarabu, na tentativa de localizar criminosos, armas e drogas. Participam da operação policiais militares de unidades subordinadas ao COE –  Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), Batalhão de Polícia de Choque (BPChq), Grupamento Aeromóvel (GAM) e Batalhão de Ações com Cães (BAC). 

Também faz parte do escopo da operação dar suporte a agentes da Corregedoria da PM que investigam denúncias sobre o suposto envolvimento de policiais militares com os criminosos da região.

Por volta das 5h30m, numa das ruas da comunidade do Guarabu, cinco criminosos ocupando dois veículos tentaram romper o cerco de uma equipe do BPChq, disparando tiros em direção aos policiais, dando início a um confronto. Os cinco criminosos foram feridos e vieram a óbito. Em outra ação na mesma comunidade, um outro criminoso também foi ferido e veio a óbito, depois de entrar em confronto com outra equipe do BPChq.

Dos seis mortos, cinco estão identificados:

Fernando Gomes de Freitas, o “Fernandinho Guarabu”, apontado como chefe do tráfico de drogas da região, possuía uma extensa ficha criminal, com 14 mandados em aberto. O criminoso era foragido da Justiça desde 2003 e o Portal dos Procurados do Disque-Denúncia oferecia uma recompensa de R$30.000,00 por informações que levassem à sua captura.

Antônio Eugênio de Souza Freitas, o “Batoré”, foi preso pela primeira vez em 2004 e no momento estava foragido. “Batoré” vinha sendo apontado como um dos envolvidos na morte do Major Allan Luna, assassinado ano passado na Baixada Fluminense. Gilberto Coelho de Oliveira, o Gil do Dendê, era identificado como o segundo criminoso na sucessão da quadrilha chefiada por Fernandinho Guarabu. Tiago Farias Costa, o Logan, e Paulo Cezar da Costa, o Piu também faziam parte do cúpula da quadrilha. 

Um sexto criminoso, com o qual foi apreendida uma pistola, ainda não foi identificado.