COM NOVO MODELO DE POLICIAMENTO, ÍNDICES DE ROUBO NAS VIAS EXPRESSAS REGISTRAM QUEDA

2019-05-24T18:07:30-03:00maio 6th, 2019|

Anunciado no início do ano como uma das prioridades da Secretaria de Estado de Polícia Militar do Rio de Janeiro, o reforço do patrulhamento ostensivo e preventivo nas vias expressas da Região Metropolitana já está surtindo resultados. Ao comparar os números do primeiro trimestre deste ano com o mesmo período do ano passado, o Instituto de Segurança Pública (ISP) constatou queda nos indicadores de roubo de veículo, roubo de carga e roubo a transeunte nas três vias expressas de maior movimento do estado – Avenida Brasil, Linha Amarela e Linha Vermelha.

A queda verificada nesses três indicadores criminais ocorreu graças ao reforço substancial de efetivo e de viaturas em duas unidades estratégicas – Batalhão de Policiamento em Vias Expressas (
BPVE) e Rondas Especiais e Controle de Multidões (RECOM) – e ao emprego de um novo modelo de policiamento.

Ao BPVE, com apoio dos batalhões operacionais de cada área, cabe o policiamento dinâmico, percorrendo as vias expressas e tendo como base a leitura das manchas criminais. Como complemento a este modelo, o RECOM passou a adotar nova estratégia, reforçando ainda mais o patrulhamento em áreas restritas dessas vias, em particular na Avenida Brasil, também com base em informações disponibilizadas diariamente pelo sistema de Georreferenciamento do ISP.

Para o Secretário de Estado de Polícia Militar, Coronel Rogério Figueredo de Lacerda, a expectativa é de que esses indicadores permaneçam em trajetória queda por dois motivos: o ajuste permanente do modelo de policiamento e a continuidade do processo de recomposição dos recursos humanos e materiais da Corporação.

– É importante ressaltar que a população não deixe de registrar nas delegacias da Polícia Civil qualquer tipo de roubo ou ameaças, fornecendo o maior número de detalhes possível. A Polícia Militar planeja o seu policiamento ostensivo com base nessas informações – afirma o Coronel Figueredo.

O Coronel Figueredo não tem dúvidas de que, com o empenho e a crescente integração dos órgãos de segurança e a colaboração efetiva da sociedade, será possível não só reduzir ainda mais os indicadores criminais, como também reverter a sensação de intranquilidade entre os cidadãos de bem.

Tamanho da Fonte
Contraste