POLICIAIS MILITARES TRABALHAM INTENSAMENTE NO SOCORRO ÀS VÍTIMAS DO TEMPORAL

2019-04-17T20:41:56+00:00abril 9th, 2019|

A importância da presença de policiais militares nas vias urbanas transcende, muitas vezes, a principal missão da Corporação, que é o patrulhamento ostensivo e preventivo. Socorrendo pessoas ilhadas, desobstruindo ruas ou resgatando moradores em áreas de risco, as equipes de serviço durante o forte temporal que caiu sobre a Região Metropolitana do Rio de Janeiro na noite de segunda-feira (08/04) e madrugada de terça-feira (09/04) demonstraram, mais uma vez, o real significado do lema “Servir e proteger”.
O trabalho foi mais intenso nas áreas de Zona Sul da capital, a região que registrou os maiores índices pluviométricos do Estado. Na comunidade do Morro da Babilônia, policiais militares da UPP local foram acionados por moradores para resgatar uma senhora. Depois do resgate os policiais conseguiram embarcá-la numa ambulância particular que a conduziu para UPA de Copacabana. Uma segunda equipe de policiais militares auxiliou os companheiros do Corpo de Bombeiros em ações de resgate no Morro da Babilônia, onde uma senhora morreu soterrada.
Na comunidade do Morro dos Tabajaras, os policiais militares auxiliaram na noite de segunda-feira moradores a remover os escombros de parte de uma residência que desabou próximo à base da UPP local, obstruindo a rua. Os escombros atingiram um veículo e uma motocicleta, mas felizmente não atingiu nenhum morador. Na manhã desta terça-feira, os policiais da UPP, avisados por uma criança, resgataram oito moradores e três cachorros de uma casa que havia desabado parcialmente. Todos foram salvos ilesos.
Na área da Gávea e Jardim Botânico, policiais militares 23º BPM (Leblon) tiveram muito trabalho para ajudar moradores e transeuntes ilhados nas ruas da região, que se transformaram em verdadeiros rios. Os resgatados eram levados para pontos secos, localizados em áreas mais altas, como, por exemplo, a entrada do Túnel Gabriel Mascarenhas.
Comandante de uma das equipes do 23º BPM, o Capitão Pablo Soares Aguilar não vai esquecer a sensação de alívio dos pais que reencontraram seus filhos no Quartel do Corpo de Bombeiros da Gávea. As crianças, quase todas na faixa etária de 7 anos idade, haviam sido resgatadas de barco pelos bombeiros de suas escolas para o quartel da Corporação na Gávea. Mas, por falta de espaço nas pequenas embarcações, os pais tiveram que aguardar, sendo levados pelos horas depois por policiais militares para encontrar seus filhos.