POLÍCIA MILITAR E MPT FIRMAM PARCERIA PARA COMBATER EXPLORAÇÃO DE MÃO DE OBRA ILEGAL

2019-04-07T21:13:01-03:00março 22nd, 2019|

Combater com maior eficiência a exploração de mão de obra ilegal – especialmente o trabalho análogo à escravidão e exploração de trabalho infantil – é um dos principais objetivos do Termo de Cooperação firmado na tarde desta sexta-feira (22/03) entre a Secretaria de Estado de Polícia Militar do Rio de Janeiro e o Ministério Público do Trabalho/RJ.

Em cerimônia presidida pelo Vice-Governador do Estado do Rio, Cláudio Castro, no Palácio Guanabara, o documento foi assinado pelo Secretário de Polícia Militar, Coronel Rogério Figueredo de Lacerda, e o Procurador-Chefe do MPT/RJ, Fabio Gourlart Villela.

O Termo de Cooperação estabelece o intercâmbio entre as instituições em relação a informações na área de inteligência, treinamento de segurança para os membros e servidores do MPT/RJ e apoio policial nas inspeções em áreas de maior complexidade, bem como nas inspeções trabalhistas.

Os policiais militares lotados nos setores da Corporação envolvidos na parceria assistirão a palestras de especialistas do MPT sobre legislação trabalhista, especialmente nos temas sobre trabalho análogo ao de escravo e exploração do trabalho da criança e do adolescente.

Desde 2018 a Polícia Militar do Rio de Janeiro passou a integrar o cadastro de instituições aptas à reversão de bens e valores oriundos dos Termos de Ajustes de Conduta (TAC’s) intermediados pelo MPT.

 

 

AULA MAGNA NO CAO E PALESTRA PARA FUTUROS CADETES

A agenda do Coronel Rogério Figueredo foi extensa nesta sexta-feira. Antes de seguir no início da tarde para o Palácio Guanabara, teve dois encontros com oficiais e futuros oficiais da Corporação.

Às 10h, proferiu a aula magna no auditório da Academia de Polícia Militar Dom João VI, em Sulacap, para os integrantes do Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais (CAO), abordando o tema central “A polícia que queremos”.

Durante sua palestra, o Coronel Figueredo lembrou o compromisso de todos os oficiais para liderar o processo de construção de uma polícia militar ainda mais eficiente e mais respeitada.

– Precisamos utilizar os recursos tecnológicos em benefício da segurança pública e em benefício de melhores condições de trabalho de nossos policiais. Precisamos estar mais próximos do cidadão de bem – disse o Coronel Figueredo aos oficiais que ingressaram no curso ministrado pela Escola Superior de Polícia Militar (ESPM), que funciona em Niterói.

 

Mais tarde participou do tradicional “almoço dos 100 dias” com os integrantes da turma do Curso de Formação de Oficiais (CFO), realizado também na Academia D. João VI. Como manda a tradição, o Comandante da Corporação participa do almoço que marca os 100 dias que antecedem a formatura dos futuros cadetes.

 

Durante o encontro, o Coronel Figueredo lembrou que esta é a primeira turma do CFO depois da mudança da legislação estadual que passou a exigir, como pré-requisito básico dos candidatos, o diploma de Bacharel em Direito.

 

 

– A nova exigência não foi um mero ato burocrático. Foi uma grande conquista que – estou certo – proporcionará relevantes benefícios para nossa Corporação e para sociedade em geral num futuro muito próximo – afirmou o Secretário, lembrando os policiais militares precisam estar preparados para trabalhar de forma mais integrada com a Polícia Civil, pois vão exercer brevemente parte do papel de autoridade judiciária.